7 de setembro de 2009

O mau estado de conservação da ciclovia

video

Existe uma cultura aqui em Praia Grande, tanto do Poder Público como também das empresas que prestam serviços de utilidade pública - principalmente a SABESP - de não deixar o lugar do mesmo jeito que encontraram. Para mim, isso é falta de fiscalização. O vídeo traz o exemplo que encontrei na ciclovia e não é uma exceção, é a regra. Está na hora de existir um controle sob todas as obras que estão sendo efetuadas na cidade: quem está fazendo, quando começa e quando termina. Acompanhar e avaliar e se for o caso, intimar para deixar do jeito que estava. Uma vergonha é o que acontece aqui na Vila Tupi. Acredito que não faz dois anos que asfaltaram algumas ruas daqui, depois veio a SABESP e arrebentou tudo, fez aqueles furos para rebaixar o lençol freático e largou tudo "cagado" e ninguém ousou intimar essa empresa que tem ações contadas em bolsa de valores e visa o lucro acima de tudo. Querem um exemplo? Rua Tupi. Haviam asfaltado e a rua estava linda, um tapete, mas depois de 6 meses veio a SABESP e estourou com tudo e taparam a rua do mesmo jeito que é a qualidade do serviço que essa empresa presta aos consumidores, e estão lá os buracos por todos os lados. Quando o munícipe passa de carro ou de bicicleta por lá, parece que está andando num terreno lunar. Será que a Prefeitura não poderia ter acompanhado a obra e fiscalizado a entrega da mesma? Isso dá uma sensação de terra de ninguém. Outra coisa é fiscalizar a qualidade do asfalto que parece de baixa qualidade pois basta chover para se dissolver na água. Eu tenho provas pois na Vila Caiçara eu fotografei o dia que fecharam um buraco na Ditador Castelo Branco e três meses depois fotografei novamente o mesmo buraco tapado sem asfalto e até hoje está do mesmo jeito.

5 comentários:

Sérgio disse...

Franz,

Desculpe algumas polêmicas trazidas aqui neste blog. Mas creio que isso nos despertará para a cidadania, já que muita gente acha que cidadania é apenas votar (e até vender votos, como alguns fazem).
Por este motivo trago sempre aqui contratos, licitações, dispénsa de licitações, críticas ao aterramento de mangue, que alguns acham correto e até mesmo o parentesco de pessoas que dizem que vc posta em interesse próprio.
Mas, em relação ao assunto Prefeitura x Sabesp, quando puder dê uma olhada onde será a futura feira no Tude Bastos.
O asfalto não tem nem três meses e a Sabesp teve que "rasgar" todo o asfalto para passar tubulação de água.
Sei que a Sabesp tem a obrigação de deixar o asfalto como encontrou e muitas vezes (ou sempre) não faz isso.
Mas será que essa passagem da tubulação não estava prevista há muito tempo? Será que a Termaq, ops, a Prefeitura não poderia esperar passar a tubulação para asfaltar? Será que os dois ´(prefeitura e Sabesp) não se comunicam, mesmo sendo Prefeito e Governador do mesmo partido?
Acgo isso desperdício de dinheiro público e descaso com a população, que viu a rua asfaltada e agora ve a lamaçeira que ficou no local.

Sérgio disse...

Mas uma observação para reflexão:

Vi em Praia Grande estudantres chegando de ônibus para os desfiles. Ônibus lotados, aqueles estudantes todos aglomerados. Depois descendo dos ônibus debaixo de um temporal forte.
Depois soube da notícia que em santos os estudantes não desfilaram em razão da gripe Suína, ou como querem alguns, da gripe H1N1.
Sei da importância do civismo principalmente para os estudantes que estão em desenvolvimento (muito embora alguns sejam pais e mães de um, dois e até três filhos, mas são sinais dos tempos).
Mas ainda não sei se agiu melhor a Prefeitura de Praia Grande ou a de Santos.
Agora, se aparecer alguém que tenha contraído a gripe suína nos ônibus em Praia Grande, a resposta será a de que a Prefeitura de Santos agiu corretamente, mas se não aparecer, a Prefeitura de Praia Grande agiu corretamente.
Fico com o velho ditado: Prevenção e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

Sérgio disse...

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO
PREGÃO PRESENCIAL Nº 086/2009
PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 14.055/2009
OBJETO: “REGISTRO DE PREÇOS PARA LOCAÇÃO DE CAMINHÕES E MÁQUINAS POR HORA PRODUTIVA”
Considerando a decisão contida na Ata de Sessão Pública do Pregão, exarada no processo em epígrafe, que CLASSIFICOU em primeiro lugar as empresas para o fornecimento dos respectivos itens, objeto da licitação, tendo em vista o menor preço unitário apresentado, sendo condição mais vantajosa para a Administração, HOMOLOGO a presente licitação, nos termos do artigo 5º, inciso IV do Decreto Municipal nº 3.593/2003:
_MARCELO DOS SANTOS DEDETIZADORA EPP, para o fornecimento dos itens 01, 02 e 12;
_RAITO TRANSPORTE LTDA., para o fornecimento dos itens 03, 07 e 08;
_CONSTRUTORA FORTEX LTDA., para o fornecimento dos itens 04 e 05;
_TERMAQ TERRAPLENAGEM, CONSTRUÇÃO CIVIL E ESCAVAÇÃO LTDA., para o fornecimento dos itens 06, 09, 10, 11, 13, 14, 15 e 18;
_TRANSPORTES, TERRAPLENAGENS E PARTICIPAÇÕES RUBÃO LTDA., para o fornecimento dos itens 16, 17 e 19.
Em 04 de Setembro de 2009. RAQUEL AUXILIADORA CHINI
- Secretária de Serviços Urbanos

Sérgio disse...

Termasq, Rubão, DD Limp, Raito, tudo numa só licitação. Que maravilha.

Anônimo disse...

Quarta-Feira, 7 de Outubro de 2009, 07:23

Obra da Sabesp será alvo de inquérito

Da Redação

Ainda na sessão de segunda-feira, a Câmara de Itanhaém constituiu uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar as obras do Programa Onda Limpa, da Sabesp. O motivo são as inúmeras reclamações de moradores, insatisfeitos com as condições em que as vias públicas ficam após o término dos serviços.

O pedido foi feito pela vereadora Regina Célia de Oliveira (PT), que para vê-lo aprovado conquistou o apoio de João Carlos Rossmann, Rogério Ferreiro Rodrigues (ambos do PR) e Marco Aurélio Gomes dos Santos. Todos, junto com Regina e Alexandre Alves (PSDB), compõem a CEI, cuja presidência foi designada a Rossmann.

"A população suporta os problemas durante a execução das obras, pois reconhece sua importância", discursou Regina. "Porém, a recuperação do asfalto ou a recolocação das lajotas, quando o serviço é concluído, não é bem feita, o que causa muitos transtornos, principalmente quando chove", disse.

Segundo a vereadora, as obras do Onda Limpa estão sendo executadas em Itanhaém pelo consórcio Delta Araguaia, contratado pela Sabesp. "Quando a gente cobra, a Sabesp diz que terceiriza os serviços, até mesmo a fiscalização, e manda ligar para o disque 195", queixou-se.

Além disso, a CEI tratará do problema da falta d'água, que segundo Regina tem sido recorrente na Cidade. "Queremos ver os contratos e que eles prestem contas à população. Vamos propor uma audiência pública", adiantou.

REUNIÕES QUINZENAIS

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Sabesp justificou que se reúne regularmente com suas contratadas para garantir a qualidade dos serviços prestados. A empresa destacou que vai promover reuniões com a comunidade local a cada 15 dias, com técnicos e engenheiros, para esclarecer a população.

A nota ainda pede desculpas aos moradores pelo transtorno e ressalta que o Onda Limpa trará benefícios para os próximos 20 anos. A empresa coloca à disposição o disque 195, gratuito e 24 horas.

As obras do Onda Limpa em Itanhaém começaram em 2007 e prevêem investimentos de R$ 157 milhões. O término é planejado para 2010. A Sabesp ainda complementou que, ao final, os índices de coleta de esgoto na Baixada Santista irão de 53% para 95%. O de tratamento de esgoto, 100%.

Itanhaém ganhará,entre outros equipamentos, uma estação de tratamento de esgoto com capacidade para 372 litros por segundo; 277,9 mil metros de rede coletora; 24 mil ligações domiciliares e 21 estações elevatórias.