21 de setembro de 2009

Desrespeito e Afronta ao Poder Público Estabelecido



Uma coisa que virou rotina em Praia Grande é menosprezar o poder público. Eu peço às autoridades que reflitam o que está acontecendo e como resolver o problema de anarquia em Praia Grande. Na minha opinião, muita gente, principalmente empresários, acham que podem tudo por terem doado dinheiro para a campanha eleitoral de seus candidatos. Outros casos, penso que é pura negligência e apatia ao trabalho. E espero que não seja por medo de enquadrar apadrinhados políticos. Cadê a tolerância zero que tanto se falou nesse ano? Foi só para os holofotes da imprensa? Se queremos que a nossa cidade seja respeitada, que se dê ao respeito! Eu que não sou pago para fiscalizar, encontro tantas aberrações e afrontas ao poder público. E por que quem é pago para fazer isso não faz? Acredito que deveria de haver um tipo de acordo para que Prefeitura e Polícia parem de bater cabeça e trabalhem juntos, exemplo: polícia viu algo errado que é da alçada da Prefeitura? Se sim, então entrar em contato com a Prefeitura e aguardar no lugar pois o policial tem fé pública e pode ser testemunha. Existe uma coisa que o dinheiro não compra que é a inteligência. Com mais de nove mil servidores, tenho certeza absoluta que há gente competente para pensar num plano de tolerância zero (pensando na população e não na visibilidade política). Peço ao Prefeito gestão sobre o assunto "Ordem". Esse vídeo foi gravado dia 13/09/2009 às 11h03 na Vila Caiçara.

12 comentários:

Sérgio disse...

Alguém sabe dizer o que foi divulgado sobrea FALS.
Ouvi que dois cursos daquela Faculdade obtiveram índices tão baisxos na avaliação do MEC que esses cursos foram cancelados.
Será que a Prefeitura só divulga coisas boas. Quando ela passou a oferecer bolsas fez um "aue", mas não comunicou nada à municipalidade.
Porque bolsas somente para essa faculdade? Só porque é do Paulo Vila Verde?
Já que, pelo jeito, os cursos foram cancelados, porque não dar bolsas em outras faculdades? Por que ai não há interesse? O que há por trás desse convênio?

Sérgio disse...

Não é tudo alugado? Ou a Prefeitura paga tres milhões e ainda vai fazer seguro? Quem responde?

AVISO DE LICITAÇÃO
Pregão Presencial n.° 120/09
Objeto: “CONTRATAÇÃO DE SEGURO CONTRA TERCEIROS PARA VEÍCULOS DA FROTA MUNICIPAL.”
Processo: 6.868/2009
Data do Pregão: 05/10/2009 às 14:30 hs
Local: Prefeitura da Estância Balneária de Praia Grande, de
Reuniões da Secretaria de Administração sito à Avenida Presi-
dente Kennedy, nº 9.000, 1º Andar, Vila Mirim - Praia Grande.
A Prefeitura da Estância Balneária de Praia Grande, através da Secretaria de Administração, da Secretaria de Educação, da
Secretaria de Saúde Pública, da Subsecretaria de Assuntos de
Segurança Públicas, da Secretaria de Promoção Social e Traba-
lho, da Secretaria de Habitação e Meio Ambiente, da Secretaria
Chefe do Gabinete, da Procuradoria Geral do Município, da Secretaria de Finanças, da Secretaria de Urbanismo, da Secretaria de Transito e Transporte, da Secretaria de Serviços Urbanos,
da Secretaria de Planejamento Estratégico e Gestão, da Secre-
taria de Juventude, Esporte e Lazer, da Secretaria de Cultura e
Turismo, da Secretaria de Gestão Patrimonial, da Secretaria de
Assuntos Metropolitanos e da Secretaria de Gestão de Pessoal,
torna público que, na data, horário e local acima assinalados,
fará realizar licitação na modalidade Pregão, com critério de
julgamento de menor preço global.
Valor total para retirada do edital: R$ 36,16 (Trinta e Seis
Reais e Dezesseis Centavos).
Local e horário para pagamento da taxa: Bancos, Banespa - das 11:00 às 16:00 hs; Bradesco- das 11:00 às 16:00 hs; Banco do Brasil- das 09:00 às 14:00 hs.
Local e horário para retirada do edital: Avenida Presidente
Kennedy, nº 9.000, 1º Andar, Vila Mirim - Praia Grande, junto à
Departamento de Licitações, das 09:00 às 15:30 hs, ou, gratui-
tamente na íntegra através do site www.praiagrande.sp.gov.br .
Praia Grande, 21 de Setembro de 2009.

Anônimo disse...

TERMO DE RATIFICAÇÃO
CONSIDERANDO PARECER EXARADO PELA PROCURADO-
RIA GERAL DO MUNÍCIPIO NO PROCESSO ADMINISTRATIVO
N°. 16.057/09, RATIFICO a INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO,
NOS TERMOS DO ART.25, INCISO II, C/C ART.13, INCISO V, DA LEI
DE LICITAÇÃO Nº 8.666/93 e POSTERIORES ALTERAÇÕES PARA
CONTRATAÇÃO DA EMPRESA MONTAURY PIMENTA, MACHA-
DO & LIOCE ADVOGADOS ASSOCIADOS.
EM 21 DE SETEMBRO DE 2009. SIDINEY SILVA PIRES -
SECRETÁRIO CHEFE DO GABINETE
(A debitar) (22)

Anônimo disse...

Falando em afronta, a Fundação Casa não toma conhecimento ao embargo da prefeitura.



Terça-Feira, 22 de Setembro de 2009, 07:55

Prefeitura de Praia Grande pede, mas obras da Fundação Casa não param

Da Redação

TADEU FERREIRA JR.

Pressionada pelo Ministério Público (MP), a Prefeitura de Praia Grande notificou a Fundação Casa a paralisar a construção de duas unidades de internação no Balneário Esmeralda. O motivo é que o local da obra está em Zona Predominantemente Residencial (ZPR-1), na qual não se permite a construção de presídios e instituições similares.

Como não se trata de decisão judicial ou sequer administrativa, mas só uma recomendação, operários trabalhavam no canteiros de obras ontem à tarde.

Os moradores do bairro não querem as instalações da Fundação Casa próximas das moradias. Para tentar impedir a obra procuraram o Ministério Público. A partir da denúncia a Promotoria de Habitação e Urbanismo instaurou inquérito civil para apurar se o projeto está em conformidade com a legislação do Município. O processo foi aberto em julho.

A assessoria de imprensa da Prefeitura confirmou que a lei de zoneamento de Praia Grande define o local como residencial. No entanto, a Secretaria Municipal de Urbanismo classifica o empreendimento como serviço público socioeducativo e não instituição prisional.

Conforme a Lei Complementar Municipal 499/07, que trata do uso, ocupação e parcelamento do solo, na ZPR-1 a Prefeitura permite edificações para uso de serviços públicos ou privados (categoria de uso S1), com área construída entre 150 e 1 mil m² com baixo ou médio impacto sobre o trânsito, meio ambiente e a população.

Parao subsecretário de Urbanismo de Praia Grande, Antônio Carlos Olímpio Silva, a Prefeitura não se opôs à construção naquele local por entender que não se trata de uma casa de detenção ou congênere, e sim uma instituição pública voltada à reeducação de jovens.

NORMALMENTE

Silva disse que o Município notificou o Estado, apenas, a suspender temporariamente as obras para esclarecer as dúvidas sobre o projeto.

O secretário explicou que o empreendimento será avaliado pela Comissão de Ordenamento de Uso e Ocupação do Solo, integrada por técnicos da Secretaria Municipal de Urbanismo e a Associação de Engenheiros e Arquitetos de Praia Grande, Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, Sindicato da Indústria da Construção Civil e Associação dos Empresários da Construção Civil da Baixada Santista.

As duas unidades da Fundação Casa de Praia Grande representam metade das quatro que o Estado está erguendo atualmente no Litoral Sul. Mongaguá e Itanhaém ganharão uma cada e estão em fase final. As de Praia Grande estão atrasadas justamente porque já houve paralisação em razão do clamor popular que durou de junho a agosto.

O investimento previsto na Cidade é de cerca de R$ 7 milhões e as unidades terão capacidade para 112 jovens. A previsão de inauguração é o primeiro semestre de 2010.

OUTRO LADO

A assessoria de imprensa da Fundação Casa garantiu que tudo se resolverá até o final destasemanacomaapresentaçãodedocumentaçãocomplementar das construções. Parte dos papéis, sustenta a Fundação Casa, já está na Prefeitura. O órgão frisou que não há empecilhos legais para a aprovação da obra, e classificou os questionamentos do Ministério Público como "questões meramente burocráticas".

"Importante lembrar que, em condições semelhantes, a Prefeitura havia aprovado projeto para a construção das unidades na área do aeroporto. Tal aprovação não surtiu efeito porque a Prefeitura determinou a mudança do local por conta do projeto de construção do aeródromo", consta em outro trecho da nota enviada pela Fundação Casa.

Sérgio disse...

Só uma prévia do que foi gasto no Palácio das Artes.
Faltam ainda alguns ítens, como luminárias, que devem chegar aos seis milhões de reais:

Projeto de Instalação de ar condicionado 156.700,48
Isolamento térmico e rede de dados 57.875,70
12 meses de Locação do prédio 602.292,48
Execução de calçamento, via de acesso e estacionamento 145.459,04
Projeto de cabine primária e instalações elétricas 182.196,66
Reforma do prédio alugado 1.630.718,64
Cenotécnica e acústica 1.828.358,65
Poltronas 212.895,00


Total 4.816.496,65

Anônimo disse...

Ainda bem que a matemática nos ajuda:

O Prefeitura estágastando quase 40.000,00 por mês com advogado.
Um Procurador Municipal ganha (pelo que foi divulgado no edital do ultimo concurso) 2 mil reais.
Que chegue a 4 mil, com encargos.
Ou seja, a Prefeitura está pagando para um escritório de advocacia o equivalente ao que gastaria com dez procuradores.
Vale a pena?
Para o município, tenho certeza que não.

EXTRATO CONTRATUAL
CONTRATANTE: PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE PRAIA GRANDE;
CONTRATADO: MONTAURY PIMENTA,
MACHADO & LIOCE ADVOGADOS ASSOCIADOS;
OBJETO: CONTRATO N° 104/09 DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADVOCATÍ-
CIOS;
PRAZO: 12 MESES;
VALOR ESTIMADO: R$460.000,00;
DATA DA ASSINATURA: 23/09/2009;
PROCESSO ADMINISTRATIVO 16.057/2009

FABAO disse...

Olha meu amigo eu discordo completamente de suas palavras em relação ao video gravado que você mostra, o que falta não só na Praia Grande, MAIS SOBRA, como em diversos municípios, é falta de conscientização da pópria população que não respeita nada e ninguém, carros em lugares irregulares, lixos dentro de canais, bueiros etc... e por ai vai tantos absurdos que vemos, recentemente o navegador do rio tiete encontrou diversas carcaças de carro dentro do rio, isso meu caro amigo não é falta de governo, e sim de vergonha na cara dessas pessoas imundas que fazem esse tipo de coisa olha pra nossa praia ela ta sempre bem limpa exceto dias de Iemanja(particularmente eu respeito a religião) mas eu não gosto da sujeira que fica, sem falar nos vandalos da nossa querida cidade que não podem ver um ponto de ônibus novo que vão e quebram o vidro e quando não quebram, pixam, riscam, então nossa cidade tem voltar a vinte, trinta anos atras? Se parar para pensar pelo menos acho que não ia ter o que desrespeitar, os vandalos não teriam o que quebrar, serà? agora você já imaginou se em cada esquina tivermos um agente, ou um policial so pra inibir o desrespeito das pessoas, educação vem de casa(as vezes), o senhor tem cachorro? se sim quando o leva pra fazer suas necessidades depois as recolhe? então a maioria que vejo não pois eu recolho, sei que estou agindo corretamente não me interessa se a maioria não faz pois eu não sou a maioria, bem fica aqui meu protesto; "Não Podemos ter Uma Nova Vida,Mas Sempre Podemos Ter Um Novo Recomeço"...

Franz Josef Hildinger disse...

Em qualquer país civilizado, a lei é cumprida porque o Estado a faz cumprir. Quando o Poder Público é omisso, não é omisso só para um fato, mas para todos. Por isso, não devemos esperar muito dos serviços públicos como na educação, saúde, segurança, etc. Basta ver que os políticos que zelam pelo interesse do povo utilizam do serviço particular para eles e suas respectivas famílias. Como diz um velho ditado popular: "o exemplo tem que vir de cima".

Maria disse...

É dever do poder público fiscalizar.
Contraventor: ou paga multa ou vai preso, assim deveria ser.

Maria disse...

Completando...

O povo deveria fiscalizar e denunciar, é isso que o autor do blog faz, como todos os que aqui postam.O problema é que poucos praticam a cidadania.
Não dianta só ficar a constatar ou reclamar, é preciso fazer alguma coisa!!!!
Muito cômodo para alguns botar lenha na fogueira, quero ver é arriscar-se a ficar queimado.

Sérgio disse...

Concordo, Maria.

O Fabão até tem razão em dizer que muitos não são civilizados e que suas atitudes contribuem para o "caos" que estamos vivendo.
Mas cabe ao Poder Público fiscalizar e punir aquels que desrespeitam as normas editadas.
Afinal não é para vivermnos em paz que pagamos nossos impostos? OU pagamos impostos, no caso de Praia Grande, apenas para que o prefeito entregue tudo à Terma para fazer obras na cidade e um monte de gente enriquecer?
Claro que nçao, pagamos para que o Estado mantenha a lei e a ordem, e para que puna aos que são vandalos, ladrões, baderneiros, desviadores de dinheiro público etc.
E o Franz usa seu tempo e seu dinheiro para mostrar a todos que a Prefeitura sabe cumprir muito bem a tarefa de arracadar, mas pega na hora de fiscalizar e de gastar com probidade e moralidade nosso suado dinheiro.
Parabéns, mais uma vez, Franz.

Se para cada dez Mourãos ouvesse um Franz nossa cidade já seria bem melhor.

Vita Vitalina disse...

Olá prezado praiagrandense.
Nós somos um grupo de moradores do Balneário Maracanã.
Publicamos por conta própria dois Boletins,um em outubro/2009 e o outro agora,em fevereiro.
Verde Maracanã é o nome. Distribuímos aos moradores da Rua César Rodrigues Reis,em que também temos nossas casas.
Recomendamos seu blog e gostaríamos de enviar as cópias via email para você.
É possível fornecê-lo?

Também mantemos um blog,desde já à sua disposição,estamos lançando-o:
http://verdemaracana.blogspot.com

aguardamos seu contato e vamos unir nossos esforços para melhor qualidade de vida em nossa cidade.

Grupo Verde Maracanã
verdemaracana@yahoo.com.br