24 de novembro de 2009

Deficiente físico não tem vez em Praia Grande

video

Esse vídeo prova a total calamidade que se encontra Praia Grande no que se refere à defesa dos direitos da sociedade. Em todos os setores de nossa cidade há o abandono do poder público, que sempre ausente, alimenta a anarquia e o desprezo à Administração. Se isso que estou mostrando fosse uma exceção, tudo bem, mas afirmo aqui que o que vocês estão vendo é a regra. O poder público é subestimado por ser fraco, débil e inchado de gente batendo cabeça sem saber o que fazer. Está na hora do contribuinte praiagrandense saber quantos funcionários hoje tem na prefeitura para justificar a ausência do poder público em todos os lugares. E quando o Cunha assumir, não vou baixar guarda enquanto a esculhambação continuar.

11 comentários:

Sérgio disse...

E painel caro!

EXTRATO CONTRATUAL
CONTRATANTE: PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE PRAIA GRANDE;
CONTRATADA: PAVIA SOLUTION - SOLUÇÕES EM COMUNICAÇÃO & INFORMÁTICA LTDA. ME;
OBJETO: Contrato n° 120/09 para PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE EMPRESA
ESPECIALIZADA EM CONFECÇÃO DE PAINEL EM LONA e PAINEL EM PVC; VALOR:
R$ 52.230,00;
DATA DA ASSINATURA: 06/11/09; PROCESSO: 19.922/09

jacque disse...

Oi Franz!
Parabéns pela disposição de falar sobre uma coisa que todo mundo vê e ninguém fala nessa cidade!!
Moro aqui há quase 4 anos e fico perplexa com a capacidade dos políticos de abandonar uma comunidade como acontece aqui. Vc mostrou no vídeo a dificuldade do cadeirante. Mas queria acrescentar que rara são as vezes que se encontra uma rampa... Moro na Guilhermina, e foi quando minha filha nasceu e eu saía com ela de carrinho na rua que percebi o que um cadeirante passa nessa cidade... E olha que o bairro é arrumadinho, né?... Abraços, com certeza vou voltar!!

Franz Josef Hildinger disse...

Olá Jacque,
Infelizmente votamos num bando de incompetentes, de vereadores ao prefeito, poucos sobram. Precisamos acima de tudo restabelecer a autoridade municipal que está sendo ignorada pelos contraventores desta e de outra cidades. Não há como haver paz se a autoridade é fraca e não sabe para que veio. Conto com a sua presença e obrigado.

bicicletanarua disse...

Franz, fará 1 ano que não vou ao Litoral Plaza Shopping e, neste meio tempo, apenas uma vez alguém da minha família ousou comprar alguma coisa lá (antes de saber do não bicicletário).
Eles já instalaram alguma coisa para os clientes que se locomovem com o melhor meio de transporte que existe - a biciclet?
Os e-mail que eu enviei não foram respondidos.

Franz Josef Hildinger disse...

Semana passada reclamei com o próprio governador Serra e mostrei a reportagem sobre o Litoral Plaza cobrando uma lei para que estabelecimentos grandes como esses fossem obrigados a ter bicicletário. A assessoria do governador entrou em contato comigo pelo twitter e disse que já existe um projeto de lei nesse sentido que será aplicado em todo o estado. O meu endereço no twitter é @franzjh e o endereço do governador está nos meus contatos. É importante fazer pressão (e ele atende as mensagens que julga ser sérias).

E parabéns pelo seu blog que tem um ótimo conteúdo.

Maria disse...

Jacque,
Como voce, somente me dei conta da ausencia de total política pública para idosos e deficientes quando passei pelo problema.De lá pra cá, tenho investido meu tempo livre em constatar as irregularidades e registrar com o intuito de solicitar às autoridades que, se não fizerem mais, ao menos o que é previsto em lei.
É inconcebíbel por exemplo que tenhamos um Palácio das artes ( teatro ) novo e que este não tenha sido projetado e nem instalado adequadamente.
A lei exite há anos e até agora nem o pronto socorro municipal tem acesso em conformidade.
A Câmara municipal está adaptando um elevador agora.
O paço municipal nem banheiro tem adaptado. Uma vergonha para o cidadão e uma indignidade para aqueles que precisam desse serviço.

Maria disse...

O que mais chama a atenção é o pouco caso das autoridades em tudo o que se refere aos deficientes.
O COMDEF ( Conselho municipal ) não funciona. Em convocação para a eleição dos conselheiros os repesentantes da prefeitura não estiveram presentes.A verba é gerenciada pela municipalidade sem a participação desse conselho.
Criam-se leis sem ao menos consulta-los. A Secretaria de Educação propõe mudanças sem debate com aqueles que usarão o serviço ou suas mães.
Os interesses políticos são perceptíveis em todos os níveis que se circula.
E se algué achar que a APAE , que tanto tem trabalhado é pública está enganado. Um grupo autônomo resolveu sair para a luta e a prefeitura o que dá é a autorização para seus movimentos públicos em colocar seu logo nas faixas. Pura indução a erro. Nem leis criam para isentar esses grupos de taxas ou impostos. Não existe nenhum incentivo a que mais grupos se formem.
O conselho é composto por 10 pessoas: 5 da administração e 5 dos grupos de apoio, onde estes tem de ter local cadastrado e pagando ISS.Desses 10, os poucos que participam estão de mãos atadas.
É revoltante.

Maria disse...

Temos quase 10.000,00 com alguma deficiencia grave, que inclui inclusive a locomoção e o município não sabe onde estão. Se a iniciativa privada quer fazer projetos para essas pessoas não pode priviliegiar grupos em separado de acordo com sua concentração: projetos , capacitação para o trabalho e inclusão na sociedade.
Eles não tem as informações e dificultam que as tenhamos, pois nem as ferramentas básicas para fazer essa estatística dão.
Ninguém viu, ninguém sabe e ninguém está interessado em saber.

Franz Josef Hildinger disse...

Deveria de existir uma lei para que todo projeto de obra que o Executivo se propor a fazer, seriada encaminhado a associação de deficientes do município para tomar ciência e opinar. A preocupação em ajeitar a vida dos construtores é grande, mas não se pode passar por cima dos direitos dos outros. Deficiente físico vota, paga impostos e merece todo respeito do poder público. Apesar que não vejo tudo isso como uma perseguição aos deficientes de Praia Grande. É um caso de burrice, negligência, preguiça e incompetência.

Maria disse...

Desconsiderem por favor o " ,00 " depois dos 10.000, foi uma distração. Lido com m2, deu nisso!

O númeo de deficientes segundo o IBGE em praia Grande :
24.457 com pelo menos 1 deficiência.
2.718 com deficiência mental permanente.
525 com falta de membro ou parte dele.
15.397 com alguma grande deficiência em enxergar.
5.807 com alguma grande deficiência em ouvir.
8.129 com alguma dificuldade permanete em caminhar ou subir escadas.
9.506 com deficiência físcica somando tetraplegia,paraplegia,hemiplegia,falta de mebro e dificuldade de caminhar ou subir escadas. ( foi a esses que me referi)
Como podem ver, a situação é gravíssima.
Segundo informações do próprio IBGE, o número vai aumentar em muito no próximo censo de 2.010.

Franz Josef Hildinger disse...

Vergonhosamente Praia Grande está sob o julgo dessa raça de salafrários. É só política e nada de trabalho. Os tentáculos da Administração chegam a todos os lugares impedindo a verdadeira participação da população e de outros interessados como é o caso do sindicato. Essa gente transformou a democracia numa democradura fazendo prevalecer o seu interesse. Coisa de país de terceiro mundo mesmo. Abaixo com os coronéis de Praia Grande.