14 de outubro de 2009

Pela enésima vez, a afronta ao Poder estabelecido



As imagens falam por si só e o que tenho que acrescentar é a minha lamentação.

5 comentários:

Anônimo disse...

Franz,

Vou dizer um pouco a respeito disso, desculpem aqueles que discordem:
Olha, primeiro acho uma vergonha não ter lugar para estacionar na orla da praia.
Claro que isso não justifica estacionar em ponto de onibus.
Mas sei que muitas vezes isso pode até não ser por maldade, pois tem gente que veio para cá quando aqui tinha lugar para estacionar na orla.
Ai um vem e estaciona, e os demais, achando que ali é lugar de estacionar, vão estacionando sem perceber.
Caberia a Administração, sabendo que aqui é uma cidade turística, fazer estacionamentos gratuitos e adequados na rua da praia.
Aliás, antes havia estacionamentos. Tiraram tudo.
Agora, independente do que cada um pensa, vou dizer os motivos que levaram a Administração a tirar os estacionamentos em frente à praia: Os Secretários Municipais e o Prefeito, na época, moravam de frente a praia. Sendo permitido estacionar, sempre tinham aqueles que abriam o capô dos carros e ligavam o som nas alturas. Já viu no que dá perturbar o sono das "autoridades".
No entanto, a prefeitura, na mesma época construiu o Kartódromo, sem licença dos órgãos ambientais, sem realizar estudo de impacto ambiental, e tomou um "fumo" do Ministério Público por isso.
Mas perturbar pobre, pode! Não pode perturbar as "autoridades".
Além disso, grandes construtores possuem terrenos na Av. Castelo Branco e utilizam-os como estacionamento.
Ai, sem lugar pra estacionar, fica fácil ganhar dinheiro com o estacionamento.
Bom, é isso que penso. Não estou concordando com quem estaciona em ponto de onibus, mas talvez tenha sido sem querer.

Fabrício disse...

Claro que é a opinião do cara, respeito, mas essa foi de doer. Eu moro em frente à praia, e não sou prefeito, secretário municipal, nem construtor.
Não havia um feriado, um final de semana prolongado sequer, que não tínhamos o inferno em nossa porta. A partir da sexta feira, ninguém durmia, e, quem vive na orla da praia, também trabalha e não é sheik árabe só porque vive aqui.
No meio de todas as m* que uma prefeitura pode fazer, ocorrem as coisas boas, essa é uma delas. Todas as ruas que desembocam na praia são asfaltadas, ou seja, é óbvio que se pode estacionar em qualquer dessas ruas e, simplesmente, atravessar a rua para chegar até o calçadão. (mamata total para qualquer turista).
Mas, como disse o leitor que comentou, vai ver foi sem querer, foi sem querer estacionar em ponto de ônibus sinalizado e com guia pintada de azul no chão, e com guia pintada de amarelo na calçada. Sem querer.
No meio de tudo isso só falta uma coisa: a fiscalização de trãnsito ser mais efetiva e multar cada um desses "turistas". Tenho visto vários casos de multas, mas ainda é pouco. E olha, numa orla de 23 km, com MILHARES de prédios e casas, haja prefeito, secretário muncipal e construtor pra habitar tudo isso. Lamentável alguém criticar uma coisa tão óbvia, que ja deveria ter sido feita há muito tempo. Lamentável mas respeito a opinião de quem falou, ele não morou na orla nos tempos de estacionamentos, com certeza. Ai fica fácil falar falar falar.

Franz Josef Hildinger disse...

Concordo 100% com o Fabrício até porque eu e minha família morávamos ao lado da Compral, de frente a Ditador Castelo Branco e mudamos de lá pelo inferno que era (e ainda é). Outra, é impossível confundir pois para poder dirigir é preciso conhecer o Código Nacional de Trânsito e lá diz que independentemente de haver placa de proibição, nas paradas de coletivos é proibido estacionar (anexo ao vídeo). Na minha singela opinião, é nesse ponto que o Poder Pública perde a moral. Lembro quando morava em São Paulo e o prefeito era o ex-Presidente Jânio Quadros e todos tinham medo dele porque ele era rigoroso no cumprimento da lei e ele multava até seus secretários e vereadores (as vezes pessoalmente).

Anônimo disse...

Como eu disse, desculpem os que discordam.
Não acho acho que quem mora na orla da praia tenha que conviver com o barulho. Apenas acho que da mesma forma que existem leis que disciplinam o estacionamento, existem leis que disciplinam o nível de ruído.
Quando teve o famoso "arrastão da Praia Grande", apareceu um Delegado de Polícia dizendo que ia implantar a um programa de "Tolerância Zero" e que carros com som altos iam ser apreendidos e uma série de balela que ficou só no discurso.
Se os carros que ficavam estacionados aumentavam muito o som, caberia ao Poder Público (seja prefeitura, Polícia Civil, Polícia Militar) tomar as providências e aplicar a Lei.
O que eles fizeram, na minha opinião, foi "matar o boi para acabar com o carrapato".
Vejo que muitos carros circulam na Castelo Branco com som alto. Se pensar como eles pensaram, então melhor será proibir o tráfego na orla da praia?
E sei que é fácil falar quando a gente não vive o problema. Não quis e nem quero dizer que a população tem que sofrer com pessoas que não sabem respeitar regras de convivência.
E fiz o comentários dos secretários pois sei bem o que aconteceu. Quando era a população reclamando, ninguém fez nada. Mas quando começou a incomodar os secretérios, o do trânsito na época mandou retirar o estacionamento.
Eu, por exemplo, acordo todo sábado e domingo às 8h da manhã com um barulho infernal dos Karts.
Para quem está de fora é fácil, para quem quer decansar no final de semana não.
E cade que a Prefeitura faz alguma coisa? Não faz e nem fará, pois nunca foi a preocupação da refeitura o barulho.
Quem mora perto do Boulevard que o diga. Quantas vezes foram na Prefeitura reclamar? E quantas vezes a Prefeitura fez alguma coisa?
Infelizmente, apesar de ser minha opinião e ter sido bom para todos (que não são marajás ou coisa parecida, eu sei, apesar de todos nós que moramos na Praia Grande parecer que somos, pois pagamos um dos impostos mais altos da país, sem reclamar), o decisão de se retirar os estacionamentos de-se tão somente ao fato de algumas pessoas bem influentes terem reclamados, assim como tiraram o "show do verão quem paga é você" dali pelo mesmo motivo.
E só falei do muitas vezes poder ter sido ser querer, apesar da sinalização, pois me recordei que no carnaval deste ano, em São Vicente, logo após eles terem feito a motovia, mais de duzentos veículos estacionaram ali pensando que aquela faixa era para estacionar e foram todos multados, claro.
Frabrício, Franz ou mais alguém que tenha discordado do que disse, desculpe. Não quero que vocês nem ninguém sofram com o barulho, apenas queria que a Administração tomasse medidas sempre contra o barulho.

Anton Chigurh disse...

Ninguém é isento das sanções por desconhecimento da lei.
Deveriam aplicar a multa e guinchar.