9 de março de 2009

Conheçam o Corredor do Lixo

video

Nesse vídeo vocês vão ver uma cidade abandonada e pior, justamente o lugar do abandono está bem no bairro com uma grande densidade populacional: Vila Antártica e Vila Sônia. Chamo a atenção de nossos vereadores que estão votando tudo que o Executivo manda para a Câmara. Está na hora de cobrar o que é de direito do ser humano que vive em Praia Grande, ou seja, uma cidade limpa. Mais uma vez gostaria de pedir aos munícipes, principalmente os eleitores desta cidade, para comparerem à Câmara todas as quartas-feiras às 20h00 para acompanhar o que os vereadores estão fazendo lá. Muito me preocupa os políticos bairristas que só se preocupa com determinado bairro ou comunidade. É preciso pensar no todo, na Cidade, e cobrar que se cumpra a lei. É muito fácil para um vereador pedir que se tape um buraco, e mais fácil ainda a Administração fazer e conquistar o vereador, o difícil é cumprir as leis na sua integralidade, principalmente as leis municipais. Como bem lembrou um vereador na última sessão sobre o descumprimento do Código de Obras. É raro, é difícil encontrar uma calçada em Praia Grande que cumpra as exigências da lei. A regra é cada um por si e todos andando nas ruas - sabem o porquê, não?


8 comentários:

Gabriel disse...

Concordo com mto do que você disse ai Franz, mas tb eh preciso ver q parte da populacao naum respeita nem msm o lugar ond vive... Posso falar dessa área, pois tenho parentes que vivem próximo à avenida dos Trabalhadores neste trecho e esse lixo td tb eh produzido pela populacao... quando se passa pelo campo do Botafogo oq mais se encontra eh despacho d macumba e similares... ali pelo cemitério entaum nem se fala.. numa das suas fotos tem um sofá.. é verdade q se a cidade fosse integrada as tais cameras poderiam a´pontar a existencia desse objeto e alguem da limpeza publica ser acionada... mas como nem td funciona como nos keremos, a populaçao poderia ligar pro 0800102027. A retirada de entulho em qualquer dos bairros da Cidade pode ser solicitada pelo telefone 0800-102027, a qualquer tempo. O serviço é gratuito e executado às quintas e sextas-feiras.

Anônimo disse...

Franz,

Não perdendo o costume de comentar os seus "posts", gostaria de ressaltar que o Código de Posturas e Código de Obras disciplinam como devem ser feitas as calçadas. Declive mínime e máximo, além, claro, da obrigatoriedade de utilização de piso antiderrapante.
No entanto, o que se vê são calçadas extremamente altas, onde a população muitas vezes se vê obrigada a andar pela rua. Agora, imagine pessoas portadoras de necessidades especiais tendo que se deslocar nessas calçadas.
O mais engraçado disso tudo é que, em tese, a prefeitura não poderia conceder a Carta de Habitação sem que a calçada esteja feita com piso antiderrapante e respeitados os declives mínimo e máximo permitidos. O Código de Postura fala ainda em obrigatoriedade de caixa de correio, sem a qual não se concede igualmente a Carta de Habitação.
Na prática, o que vemos são casas vendidas sem calçada, ou com calçada em desacordo com a legislação municipal, sem caixa de correio (esta menos importante, mas está lá na Lei).
Fica a pergunta: Porque os fiscais de obras não fiscalizam? Um pouquinho de criatividade é suficiente para se encontrar a resposta.

Rafael disse...

O negócio é ver de quem é o terreno, no qual é depositado o lixo, se for particular, manda intimação para murar todo o terreno, se for público... ai não sei rs...

Sabe-se que todo este lixo foi produzido pela propria população, que não tem consciencia e educação!

Agora cabe a Prefeitura limpar e multar aquele que ali deposita lixo!

Vamos criar os ficais de lixo, e criar campanhas de conscientização para esse povo mal educado...

Franz Josef Hildinger disse...

Olá Pessoal. Concordo com tudo o que vocês disseram sobre a culpa do povo em relação a falta de higiene e acrecento: falta de caráter, moral, inteligência e conhecimento. Falta tudo! Sobre isso, até fiz uma reportagem que está aqui: Sujeira em Praia Grande (Povo o maior culpado) (http://deolhoempraiagrande.blogspot.com/2008/12/sujeira-em-praia-grande-povo-o-maior.html). No entanto, não é porque o povo quer destruir uma cidade que as autoridades vão ficar de braços cruzados para o problema. Antes de multar é educar. Os médicos de família, os assistentes sociais, em colaboração com as sociedades amigos de bairro deveriam "catequizar" essa gente que não teve acesso às informações sobre higiene e limpeza para fazer o que é certo. Mas também acredito que se a Prefeitura fizesse a sua parte, andasse pela Cidade, limpando-a, o povo seria mais ordeiro. Se o povo encontra tudo sempre sujo, vai entender que a regra é jogar seu lixo em terrenos baldios ou abandonados. E cabe também os vereadores, esses que se dizem representantes do povo, cobrar do Executivo que como o próprio no diz, é quem executa!

Anônimo disse...

Em relação ao lixo na rua, o culpado realmente é quem joga. Mas se uma pessoa comete um crime, o Poder Público pode e deve (muito embora não o faça muitas vezes) agir para puni-la (para isso o Estado tem poderes, e para isso pode e deve cobrar impostos (e isso faz com uma qualidade que se fosse aplicada nas demais atividades seria perfeito).
Então, se uma pessoa pratica uma conduta fora do que está previsto nas leis (Código de Posturas, Código de Obras etc, o Estado pode e deve cobrar dessa pessoa uma conduta compatível com o convívio em sociedade. Afinal, somos ou não seres sociáveis?
No entanto, como postaram com muita propriedade, o dono do terreno deveria ter sido notificado a murá-lo, a fazer calçada etc. Mas em uma cidade onde o poder e o dinheiro está nas mãos dos construtores, esse terreno só pode pertencer a um deles, então deve ser por isso que a Prefeitura não notifica, multa, executa, manda a leilão etc.
Enquanto a Prefeitura não faz sua parte, o povo (sem cultura, é verdade) vai dizendo: se tem esse terreno ai, vou jogar lixo!

Anônimo disse...

Esse negócio de político só querer meter a mão no bolso do contribuinte me faz pensar que qquer contrato que a administração firme, alguém leva alguma vantagem. Será que só eu penso assim? Será que estou errado em pensar assim:

EXTRATO CONTRATUAL
CONTRATANTE: PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA
DE PRAIA GRANDE;
CONTRATADA: MANUEL FRANCISCO
TAVARES LANCHONETE ME.;
OBJETO: Termo de Prorrogação e
Aditamento do Contrato 100/08 de Fornecimento Parcelado de Pão Francês 50 Gramas, firmado em 14/07/08, sendo que fica prorrogado por mais 01 mês a partir de 15/02/09 o prazo do
referido Contrato com aditamento no valor de R$ 12.625,00representando aproximadamente 18,3% a serem acrescidos ao valor do contrato;
DATA DA ASSINATURA: 10/02/09; PROCESSO: 9.512/08.

Bom pelo que entendi, por um mês o contrato foi acrescido em R$ 12.625,00. Pago R$ 0,20 no pãozinho. Devo pagar barato. Supondo que o pãozinho saia por R$ 0,30 cada, com o acréscimo para um mês daria para comprar 42.083,33 pães. Será que a Prefeitura vai abastacer metade da população de Praia Grande?
Outro exercício de matemática. Se R$ 12.625,00 representa 18,3% do contrato, então o contrato é de R$ 68,989,07 para um ano de forneceimento de pãozinho ao que parece por seis meses.
Então, em seis meses a Prefeitura compra 229.963 pãezinhos?
O semestre tem mais ou menos 100 dias de aula. São 2.300 pães por dia, o que parece razoável. Mas será que todas as crianças tomam café da manhã em Praia Grande? Quem tem filho na escola é que deve responder!

Anônimo disse...

Franz,

Há um bom tempo venho postanto contratos que a Prefeitura de Praia Grande firma com "parceiros" habituais e que giram em torno de R$ 150.000,00 e com objetos genériocos, impossíveis de se apurar se o serviço foi mesmo prestado. Para mim, parece lavagem de dinheiro ou coisa parecida. Veka mais um:

EXTRATO CONTRATUAL
CONTRATANTE: PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE PRAIA GRANDE; CONTRATADA: PRAIATERRA CONSTRUTORA LTDA.;
OBJETO: Contrato 014/09 de Prestação de Serviços de Engenharia visando a “Manutenção da Rede de Drenagem do Município”; VALOR: R$ 148.144,16;
PRAZO: 180 dias;
DATA DA ASSINATURA: 13/02/09; PROCESSO: 21.435/08.

Assim é muito fácil tirar dinheiro dos contribuintes.

Anônimo disse...

infelizmente sempre que eu passo por esse lugar me dá arrepio pq além do cheiro horrivel, sempre vejo animais mortos simplesmente jogados no meio do mato e os urubus fazendo a festa...

acho que isso não é nem culpa da prefeitura e sim dos proprios moradores que parecem que gostam de viver no meio do lixo, pq se não gostassem não sujariam tanto...fora o desrespeito com os animais..