30 de março de 2009

Cidade e povo abandonados

video

Ninguém vai me vencer pelo cansaço. Não querem trabalhar? Não se incomodam com as denúncias? Não se importam com o povo? Tem gente que é diferente e quer trabalhar, quer denunciar e se importa com o povo. Esta pessoa sou eu. É um absurdo. No site do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo encontra-se no SIAP, referente ao exercício de 2007, que a Prefeitura de Praia Grande contava com mais de seis mil funcionários. E mais: vergonhosamente diante deste gigantesco quadro de funcionários, ainda se contrata empresas para limpar bueiros, etc. Se a nossa Cidade vive em estado letárgico, não é por culpa do povo. Pagamos impostos, votamos em vereadores que prometem o paraíso, mas não conseguimos sair de um inferno maquiado. Vou publicar uma série de descasos que já chamei a atenção aqui mas nada foi resolvido.

10 comentários:

Anônimo disse...

Franz,

Aind bem que o município tem alguém como você. Mas infelizmente para cada Franz tem mil Mourão.
Enquanto vc quer o bem da sua cidade e luta por isso, e tudo que faz é com recursos próprios, outras pessoas só fazem para poder ganhar dinheiro em cima, e fazem com o dinheiro público. Mas não desanime. E no que puder vou ajudá-lo a continuar nessa luta justa e gloriosa.
Um abraço.

Anônimo disse...

Só para ver como Praia Grande tem dinheiro, olha o valor do contrato para coleta de lixo: R$ 47.860.679,00.

EXTRATO CONTRATUAL
CONTRATANTE: PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE PRAIA GRANDE;
CONTRATADA: SANURBAN - SANEAMENTO
URBANO E CONSTRUÇÕES LTDA.; OBJETO: 4º Termo de Aditamento ao Contrato 107/03 de Prestação de Serviços Públicos, firmado em 08/09/03, cujo objeto trata da "Coleta, Operação de Transbordo, Transporte e Destino Final de Resíduos Sólidos Urbanos e demais serviços de Limpeza
Urbana", sendo o aditamento a maior no valor de R$ 2.211.163,37 representando aproximadamente 4,62% a serem acrescidos ao valor do contrato;
DATA DA ASSINATURA: 20/02/09; PROCESSO: 3.564/03.

Anônimo disse...

E dá-lhe Termaq!!!!

CONTRATANTE: PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE PRAIA GRANDE;
CONTRATADA: TERMAQ TERRAPLENAGEM,
CONSTRUÇÃO CIVIL E ESCAVAÇÕES LTDA.;
OBJETO: 1°Termo de Aditamento ao Contrato 022/08 de Prestação de
Serviços de Engenharia, firmado em 19/02/08, cujo objeto trata
da "Execução de Obras de Pavimentação, Drenagem, Canalização em Placas de Concreto Armado Estruturadas com Perfis Metálicos Cravados e Construção de Habitações de Interesse Social na Área denominada Vila Mirim III" sendo que fica prorrogado o presente Contrato por mais 13 meses a contar de 18/03/09;
DATA DA ASSINATURA: 16/03/09;
PROCESSO: 13.768/07.

Anônimo disse...

Caro Franz,

Gostaria de saber quem é o engenheiro que dimensionou esta estrutura metálica, se for engenheiro da prefeitura estamos bem servidos com os profissionais contratados pela administração, pois qualquer leigo sabe que para resistir a agressão do ar marinho, o material tem que ser galvanizado a fogo e ter manutenção constante, outro ponto o perfil metálico não resistiu ao peso próprio, ou seja foi mal dimensionado. Agora pergunto cadê o CREA (conselho regional de engenharia e arquitetura) para fiscalizar, pois esta estrutura pode desabar a qualquer momento. Se este fato tivesse acontecido com um engenheiro ou arquiteto qualquer, provavelmente estaria respondendo um processo, porque o Ministério Público não investiga quem é o responsável técnico pelo projeto e elaboração desta estrutura, pois o mesmo deveria responder financeiramente pelos danos. Outro ponto que devemos nos ater, é em relação as obras públicas executadas pelas construtoras contratadas, como por exemplo, a pavimentação da orla marinha, que está totalmente ondulada e se deformando talvez por má execução em sua base e uma camada muito fina de asfalto, provavelmente fora de norma, cadê a responsabilidade de 5 anos que a lei prevê para a construção civil, para a prefeitura de Praia Grande e construtoras contratadas não se aplica??? Ou não tem quem denuncie???
Vamos utilizar o CREA para denunciar estas obras, vamos acordar.
Em uma obra de construção civil particular, caso ocorra alguma patologia, tanto o Proprietário como o Engenheiro, são responsáveis para corrigir os danos, sem custos para quem comprou o imóvel. Quanto a prefeitura nós pagamos para recuperar obras mal executadas pelas empresas contratantes, ou será que a prefeitura cobra das mesmas os tais reparos???

31/03/2009

Franz Josef Hildinger disse...

O meu acervo já conta com mais de mil fotos de aberrações em Praia Grande. O que percebo é uma falta de bom senso geral nas obras do município. Na ciclovia por exemplo colocaram enormes tampas que hoje estão afundadas. Ora, o caminho da ciclovia é estreito e ainda colocam tampas? Será que essas tampas não poderiam ser projetadas para ficar em lugares onde não incomodam ninguém como nos jardins da orla? Esse adorno da reportagem também. Além de ser de ferro, qualquer um sabe que naquele local venta muito e esses adornos são como uma concha que bloqueia o ar. No dia que estava filmando, havia crianças brincado em baixo dessa sucata enferrujada. Será que alguém precisa se acidentar para as autoridades tomarem providência? Em São Paulo lembro que a Marta Suplicy criou o programa "Belezura" para limpar e melhorar o visual da cidade, aqui em Praia Grande temos a operação "Feiura" para piorar a imagem da cidade.

Obrigado a todos e a todas pelo apoio.

Anônimo disse...

Pessoaldesculpem a brincadeira. Logo eu que sempre posto notícias sérias aqui, mas não resisti:

Crea? Fiscalizando a Prefeitura? Fala pra eles salsichão quem é que assina o cheque.
O Crea é meu! "Tô pagano"!

Futura sede do Crea dará ênfase para a acessibilidade
Doação do terreno foi formalizada pelo prefeito nesta quinta-feira (24)

Disponível em:

http://www.praiagrande.sp.gov.br/pgnoticias/noticias/noticia_01.asp?cod=10194&cd_categoria=

Anônimo disse...

Se Estado Democrático de Direito é ver uma Administração Municipal gastando o dinheiro do povo, com aluguéis incrivelmente elevados, de prédios pertencentes a "amigos do rei", ver uma empresa como a Termaq ganhando tudo que é licitação de obras de maior valor, de ver assessor do prefeito ser pego com a boca na botija(assessor e, diga-se, amigo pessoal, vizinho, comprador de apartamento construído pelo próprio prefeito que dizem custou em torno de R$ 700.000,00), e depois o prefeito dizer que não sabia de nada (bom, o nosso presidente não sabia do mensalão, né), é ver a administração gastar 6 milhões no tal palácio das artes, que é um prédio particular etc etc.
Se isso é mesmo Estado democrático de Direito, por favor, devolvam-me a ditadura.

Celia disse...

Franz,
Esta estorinha te responde?

O Vestido Azul

Num bairro pobre de uma cidade distante, morava uma garotinha muito bonita. Ela freqüentava a Escola local. Sua mãe não tinha muito cuidado e a criança quase sempre se apresentava suja. Suas roupas eram muito velhas e maltratadas.
O Professor ficou penalizado com a situação da menina.
- "Como é que uma menina tão bonita pode vir tão mal arrumada para a Escola?"
Separou algum dinheiro do seu salário e, embora com dificuldade, resolveu lhe comprar um vestido novo.
Ela ficou linda no vestido azul!
Quando a mãe viu a filha naquele lindo vestido azul, sentiu que era lamentável que sua filha, vestindo aquele traje novo, fosse tão suja para a escola. Por isso, passou a lhe dar banho todos os dias, pentear seus cabelos, cortar suas unhas...
Quando acabou a semana, o pai falou:
- "Mulher, você não acha uma vergonha que nossa filha, sendo tão bonita e bem arrumada, more em um lugar como este, caindo aos pedaços? Que tal você ajeitar a casa?
Nas horas vagas, eu vou dar uma pintura nas paredes, consertar a cerca, plantar um jardim."
Logo mais, a casa se destacava na pequena vila pela beleza das flores que enchiam o jardim, e o cuidado em todos os detalhes. Os vizinhos ficaram envergonhados por morar em barracos feios e resolveram também arrumar as suas casas, plantar flores, usar pintura e criatividade.
Em pouco tempo, o bairro todo estava transformado...
Um homem, que acompanhava os esforços e as lutas daquela gente, pensou que eles bem mereciam um auxílio das autoridades. Foi ao Prefeito expor suas idéias e saiu de lá com autorização para formar uma comissão para estudar os melhoramentos que seriam necessários ao bairro.
A rua, de barro e lama, foi substituída por asfalto
e calçadas de pedra.
Os esgotos a céu aberto foram canalizados e o bairro
ganhou ares de cidadania.
E tudo começou com um vestido azul...
Não era intenção daquele professor consertar toda a rua, nem criar um organismo que socorresse o bairro. Ele fez o que podia, deu a sua parte. Fez o primeiro movimento que acabou fazendo que outras pessoas se motivassem a lutar por melhorias.
Será que cada um de nós está fazendo A SUA PARTE no lugar em que vive? Ou será que somos daqueles que somente apontam os buracos da rua, as crianças à solta sem escola e a violência do trânsito?
Lembremos que é difícil mudar o estado total das coisas. Que é difícil limpar toda a rua, mas é fácil varrer a nossa calçada.
É difícil reconstruir um Planeta, mas é possível dar um vestido azul.
Faça a sua parte!

Vamos melhorar NOSSO PLANETA-CASA !

Franz Josef Hildinger disse...

Obrigado por mandar esse conto, Célia. Ilustra bastante que a atitude popular é imprescindível para modificar uma cidade e se cada um fizer atitudes positivas, com certeza, seremos agentes replicadores de boas ações.

Maria Del Carmen disse...

Aproveitando a sugestão da Celia, segue um poema extraído um livro infantil " Entre ecos e trecos" sugerido aos meus filhos quando estavam na primeira série do 1º grau.
Autor José de Nicola



Verão

Uma andorinha só
não faz verão.

Uma andorinha,
só,
não faz verão

Uma:
andorinha só não faz verão.

Uma andorinhasó?
Não!
Faz verão.

Uma andorinha só não faz.
Verão!

Verão!
Uma andorinha.
Só não faz
Sol.