18 de novembro de 2010

Câmara Inacessível



Cansado de ver os portadores de necessidades especiais sofrerem na Câmara de Praia Grande, gostaria de levar ao conhecimento de todos a minha revolta.

Uma Câmara que tem sérias acusações pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo sobre o mau uso do dinheiro público, deveria pelo menos encontrar alguma sobrinha da verba pública e facilitar a vida daqueles que querem acompanhar e fiscalizar as sessões da Câmara.

Sobre o despacho do Tribunal de Contas de São Paulo, Processo TC-00327/026/08, vejam a cópia neste link: http://www2.tce.sp.gov.br/arqs_juri/pdf/99097.pdf

6 comentários:

Sérgio disse...

Realmente, uma vergonha o que se passa na Câmara, não só no descaso com os portadores de necessidades especiais como também com o erário municipal.
Isso sem falar que uma Câmara com tantos servidores emprestados pelo Executivo certamente se torna refém daquele Poder.
Mas o que esperar do nosso legislativo além disso?

Franz, encaminha esse vídeo ao Ministério Público Federal que eles, certamente, tomarão as medidas cabíveis.

Sérgio disse...

Olha que a Termaq só pega coisa grande:

CONTRATO: 115/2.010 - CONTRATANTE: Prefeitura Municipal da Estância Balneária de Peruíbe - OBJETO: construção de 320 unidades habitaciobnais do conjunto habitacional Santa Isabel - CONTRATADO: Termaq Terraplanagem Construção Civil e Escavações Ltda – MODALIDADE: Concorrência 04/2010 - VALOR: 17.867.788,58 - DATA: 04/11/2010

Sérgio disse...

Das pessoas mencionados no despacho como sendo funcionários beneficiados pela demissão/admissão temos:
- Lissandro Silva Florêncio OAB nº 139.791 - Advogado atuante - deve ter pouco serviço na Câmara Municipal.
- Fábio Cardoso Vinciguerra - também advogado atuante - Já foi agraciado no ano de 2003 com uma bolsa de estudos pela Prefeitura.

Sérgio disse...

Paulinho da Força Sindical é condenado por improbidade administrativa pela Justiça Federal
Plantão | Publicada em 22/11/2010 às 11h34m
O Globo
R1 R2 R3 R4 R5 Dê seu voto R1 R2 R3 R4 R5 Média: 0,0Comente
Comentários
SÃO PAULO - A Justiça Federal condenou o deputado federal Paulo Pereira da Silva e a Força Sindical, entidade por ele presidida, a ressarcir R$ 235,5 mil aos cofres públicos e pagar multa de R$ 471 mil por irregularidades na gestão de R$ 40 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador para a execução do Plano Nacional de Qualificação do Trabalhador (Planfor), no ano de 2001. A decisão é da juíza federal Fernanda Souza Hutzler, da 25ª Vara Federal Cível.

A ação foi movida pelo Ministério Público Federal em São Paulo. Segundo o MPF, a condenação ocorreu em agosto, mas nesta segunda-feira o MPF apresenta ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região contra-razões da apelação, na qual pede que o TRF-3 mantenha a condenação de Paulinho da Força em segunda instância.

Segundo o MPF, entre as irregularidades estão a contratação de escolas e cursos sem licitação, pagamentos antecipados, ausência de relatórios de fiscalização de execução dos contratos e utilização dos recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador. A ação foi iniciada em 2003. O sindicalista teria contratado sem licitação, por meio da Força Sindical, o Instituto Paulista de Ensino e Cultura (Ipec), por R$ 20,3 milhões. Para dispensar a licitação, central deveria ter comprovado, por exemplo, a capacidade instalada do Ipec nos municípios onde haveria cursos do Planfor, mas isso não foi feito.

Entre outras irregularidades, o MPF detectou, na prestação de contas, listagens com inscrições simultâneas de um mesmo CPF em cursos realizados, inclusive, em estados diferentes.

Sérgio disse...

Como esse povo gosta de reformar fachada e telhado. Há 8 anos isso tudo foi reformado e a previsão era de que custaria uns 200 mil e passou de dois milhões. Teve até diretor afastado.
O problema é que eles nos acham com cara de idiota e sabem que poucos vão se lembrar da falcatrua anterior, e os que se lembrarem não vão fazer nada e até votam neles de novo:

AVISO DE LICITAÇÃO
A Câmara Municipal de Praia Grande torna público que fará realizar a licitação na modalidade Tomada de Preços, sob nº 003/2010, do tipo Menor Preço. A presente licitação tem por objeto a EXECUÇÃO DE OBRA DE ENGENHARIA VISANDO REFORMA E SUBSTITUIÇÃO DA FACHADA, TELHADO E PINTURA NA SEDE DA CÂMARA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA
DE PRAIA GRANDE. O Edital completo poderá ser lido e obtido, gratuitamente, na Secretaria da Câmara de Praia Grande, situada na Praça Vereador vital Muniz, 01 – Boqueirão – Praia Grande/SP, no horário das 14:00hs às 17:00hs, nos dias úteis, onde também serão prestadas todas as informações sobre o certame. Os invólucros (envelopes) contendo Documentação
e Proposta Comercial deverão ser entregues até o dia 13 de dezembro de 2010, às 15:00 horas, quando será realizada a reunião para abertura dos envelopes. No julgamento das propostas, a Comissão levará em consideração o tipo de licitação que é de Menor Preço Global. Valor estimado para os serviços, conforme Anexo I: R$ 312.201,77.
(A debitar)

Roberto disse...

Muito bom o seu blog! Realmente é um descaso com os portadores de necessidades especiais. Sem falar na festa que estão fazendo com o dinheiro público contratando tanta gente sem necessidade. É difícil estimar o número de comissionados (puxa-sacos, fantoches e cabos eleitorais) na Prefeitura e Câmara de Praia Grande. Eles nascem mais que capim.