19 de maio de 2009

Controle Social e Cidadania

Olá Pessoal,

Eu fiz este curso e recomendo a todos. Através dele o cidadão saberá como e a quem denunciar governos corruptos e incompetentes. O interessante do curso é que no fórum nós conversamos com pessoas de diversas cidades do Brasil que têm muitos problemas também. E a gente conversando vai trocando experiências. Até para aquele que deseja ser um dia um político capaz, este curso seria muito importante pois a grande maioria são de idiotas que mal sabem o que estão fazendo e aprovando. Concluído e aprovado no curso, o estudante receberá um diploma.

Abraços a todo(a)s,


Abertas inscrições para curso a distância sobre controle social e cidadania


A Controladoria-Geral da União (CGU) recebe até o dia 22, sexta-feira, inscrições para o curso a distância Controle Social e Cidadania. São oferecidas 1.280 vagas, divididas em 32 turmas, que terão atividades no período de 25 de maio a 30 de junho, num total de 40 horas. Os objetivos do curso, voltado a conselheiros e agentes públicos municipais, lideranças locais, professores, estudantes e cidadãos em geral, são incentivar a atuação no controle social das ações de governo e promover a melhor aplicação dos recursos públicos.


O Curso Controle Social e Cidadania, oferecido em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf), é estruturado em três módulos:


Módulo I - A participação popular no Estado brasileiro;


Módulo II - O controle das ações governamentais;


Módulo III - O encaminhamento de denúncias aos órgãos responsáveis;


Para participar, basta ter acesso à internet, um endereço eletrônico e conhecimentos básicos do sistema operacional Windows e do editor de textos Word. A avaliação terá como base a participação no curso e nos fóruns de discussão. Os alunos que obtiverem aproveitamento mínimo de 70% receberão certificado. As incrições poderão ser realizadas diretamente no site da Esaf, no link "Educação a Distância", na opção "inscreva-se aqui (https://ead.serpro.gov.br/login/inscrevase.asp?cod_escola=8)", clicando na turma do seu interesse.


Escola Virtual da CGU


A Escola Virtual da CGU é uma iniciativa que visa contribuir para a promoção da integridade pública e para a prevenção da corrupção, por meio de ações educativas. As atividades desenvolvidas concentram-se em duas grandes áreas temáticas: educação para a cidadania e fortalecimento da gestão pública. Entre as atividades relacionadas ao primeiro tema estão cursos, vídeos e publicações voltadas para cidadãos, com o objetivo de promover o controle social e orientar sobre como os gastos públicos podem ser controlados. Na segunda área temática, são desenvolvidas ações voltadas para servidores públicos. Essas atividades objetivam fortalecer a gestão pública, por meio da capacitação de servidores públicos em temas como licitações e contratos administrativos, convênios e controle interno. Mais informações: http://www.cgu.gov.br/EscolaVirtual/index.asp.


Serviço:


Curso Controle Social e Cidadania


Inscrições: até 22/5 no endereço


https://ead.serpro.gov.br/cursos/ControleSocial/Apresentacao.asp

Período das aulas: 25/5 a 30/6


Informações:


ead.esaf9@fazenda.gov.br ou (61) 3412-6479

Atenciosamente,

Escola Virtual da CGU


CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO - CGU

OBS.: Não precisa responder este email.

2 comentários:

Anônimo disse...

Brunazo: Nova urnas não eliminam fraude
Atualizado e Publicado em 20 de maio de 2009 às 18:30

Olá,

Duas pessoas já confessaram ter participado de um esquema de compra de votos na eleição de 2008 na Praia Grande, SP.

O jornal A Tribuna, de Santos, publicou hoje (20/05) ampla matéria a este respeito, abordando a confissão do candidato a vereador André Yamauti que divulgou carta aberta em que envolve também o prefeito eleito Roberto Francisco

Mas, além do crime em si e das suas possiveis conseqüências (cassação, nova eleição, etc.), acho importante destacar que a maneira como a fraude foi feita na Praia Grande já mostra uma "evolução na tecnologia de compra de votos" que irá permitir a fraude mesmo nas 500 mil novas urnas biométricas que o TSE pretende comprar.

Explicando,

A compra de votos é uma fraude eleitoral que vinha crescendo muito a cada eleição e vinha sendo praticada da seguinte forma:

1- o coator pagava ao eleitor para reter o seu título eleitoral;

2- no dia da eleição enviava alguém de confiança para votar no lugar do eleitor, aproveitando que o título não tem foto.

Reagindo ao crescimento das denuncias desta modalidade de fraude, o TSE resolveu acoplar às urnas eletrônicas, a identificação biométrica (da impressão digital) dos eleitores. Estas novas urnas estão sendo chamadas de urnas biométricas.

Alegava-se que estas novas urnas impediriam a compra de voto.

Depois de testá-las em 3 cidades em 2008, o TSE decidiu começar a compra de 500 mil novas urnas biométricas. É muito dinheiro. A licitação para a compra das primeiras 100 mil já foi aberta.

É aqui que entra o caso da Praia Grande.

Lá, a compra de voto de deu por uma outra forma que consistia em entregar ao eleitor uma micro-filmadora (embutidas em celulares, broches ou canetas) para que ele próprio filmasse a tela da urnas durante o seu voto.

Vejam em:

http://www.youtube.com/watch?v=4WurfF1mCmo

uma dessas gravações, com som, que o eleitor fez para comprovar o seu voto nos candidatos André Yamauti (vereador) e Roberto Francisco (prefeito) na eleição de 2008 e, depois, receber seu pagamento.

Este vídeo corrobora a confissão e demostra a nova modalidade da compra de votos.

O problema é que esta nova forma de compra de votos é perfeitamente possível de ser aplicada também nas novas urnas biométricas.

Outras fraudes eleitorais, como o voto do mesário e a compra da abstenção também não serão impedidas pela urnas biométricas - ver:

http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/urnas-b1.htm

Quer dizer, muito dinheiro público será gasto na compra de 500 mil novas urnas eletrônicas e as principais fraudes que hoje existem continuarão a ser praticadas apenas com algumas adaptações.

[ ]s


Eng. Amilcar Brunazo Filho - Santos, SP
www.votoseguro.org

Maria disse...

Pena...
Acho que não há mais vagas.