17 de junho de 2008

Educação vem da escola


Fica difícil cobrar respeito por parte da Prefeitura quando o cidadão não se respeita. Fico pensando o que um indivíduo tem na cabeça para ficar atirando tênis nos fios da rede elétrica... Será que existe na cultura não domesticada o culto ao que é feio? Quantos brasileiros "fogem" ou gostariam de fugir para um país de primeiro mundo porque as condições de vida nesses países são melhores? Se nós conseguíssemos nos comportar como seres dotados de razão, nossas cidades seriam lugares melhores para se viver e daí para uma cidade de primeiro mundo seria um passo. A história de ter nascido em berço esplêndido deveria ser eliminado pois causa uma falsa tentação de imaginar que educação vem da família. Vem sim, mas a escola é que faz o cidadão. Quando vemos alunos destruindo escolas, roubando-as, praticando violência contra professores, é algo para refletir qual caminho a educação brasileira quer seguir.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá meu amigo...
Sou moradora do município de São Vicente, mas sou professora da Prefeitura de Praia Grande. Então passa mais tempo em PG do que em casa.
O descaso da prefeitura não é só com as ruas, mas tb com seus funcionários. Não temos fundo de garantia, não aceitam atestado de acompanhante (se vc tem filhos- não interessa para eles)e outras coisas mais....
Ah sobre a foto onde vc mostra tenis nos fios, isso quer dizer que ali em algum lugar perto tem drogas, ou é um ponto de tráfico.
Sei disso, pois sempre morei em lugares onde tinham isso....
Amigo não desista de mostrar como Praia Grande não é tão bela assim...
Abraços fica com Deus

Franz Josef Hildinger disse...

Gostaria de agradecer pela mensagem que ajudou-me a acrescentar mais esse ponto que não sabia sobre tênis nos fios. Espero que a polícia saiba disso também. Eu dou muito valor aos funcionários da Prefeitura - somente aos concursados. Eu também passei num concurso mas felizmente quando me chamaram para assumir eu já estava em outro lugar bem melhor. Ao meu ver, um grande problema para os funcionários da PG é a falta de um sindicato comprometido com os trabalhadores e um vereador que represente a classe. A oposição praiagrandense, em sua grande maioria, termina com cala-boca do toma-lá-dá-cá. Infelizmente nessas eleições eu não tenho confiança em ninguém para o cargo de prefeito e vou anular o meu voto pois sou contra votar no menos ruim.