31 de maio de 2010

Ao nível da incompetência

Você, contribuinte, preste atenção pelo serviço que você está pagando com o dinheiro de seus impostos. No mundo civilizado, há milhares de anos atrás, inventaram as escadas. Mas parece que Praia Grande nunca ouviu falar delas. Uma obra que poderia ser meramente fácil de fazer torna-se nas mãos dessa gente uma aberração. Se os imóveis não estão no nível da rua, as calçadas não precisam seguir o nível dos imóveis, basta fazer a calçada conforme manda a lei e o acesso da entrada do imóvel à calçada, o proprietário se responsabilizará, ou seja, construindo uma escada. O que foi feito é comparável ao aterro. Depois de encher de lixo, cobre-se com terra. Com mais atenção, perceberemos que deficientes físicos e idosos terão sérias dificuldades para "escalarem" essas calçadas e depois se equilibrarem para andar nas mesmas. Mais uma obra defecada por aqueles que receberam nossos votos. Eu só quero saber quanto estamos pagando por tudo isso.

2 comentários:

Maria disse...

Na Av. Pres. Costa e Silva perto do Banco Itaú e do outro lado da rua há um flagrante que é uma verdadeira aberração. Para entrar na loja tiveram que fazer um degrau na calçada.

O Banco HSBC sito na Av. Brasil no Boqueirão não possui acesso a deficientes. Para entrar no banco é necessário subir um degrau . O banco oferece o serviço de pagamento a aposentados,porém, nem todos podem fazer o saque, sendo violados na sua privacidade.Eles necessitam pedir a parentes ou amigos que o façam.Presenciei idosos sentindo-se humilhados por tal situação.
Cada dia que passa a negligência por parte do poder público fica mais evidente.

Van Helsing disse...

Trabalho na prefeitura, na SEURB (onde é cobra engolindo cobra,e fico indignado com os engenheiros que aprovam os projetos particulares, eles tem o maior prazer em reprovar projetos que não estão de acordo com a lei de acessibilidade, parece que eles não andam pela cidade para ver que a mesma foi construída sem nenhuma previsão de crescimento, e que a população de portadores de necessidades especiais tende a crescer com o passar dos anos, porque eles não adequam os predios públicos a esta lei, pois o próprio prédio da prefeitura somente depois de cinco anos da publicação da lei é que foi adaptada.