28 de setembro de 2008

Sadismo para com os deficientes físicos


Este suposto estacionamento para deficientes físicos está localizado bem na divisa da Vila Tupi com a Cidade Ocian, bem na frente do número 6.802 da Castelo Branco. De estacionamento para deficiente não tem nada como você vai perceber.


Tente se colocar na posição de um deficiente físico. Imagine você, um deficiente físico, talvez um cadeirante, chegando de carro em Praia Grande. Andando pela Castelo Branco, encontra um lugar para parar seu carro pois o aviso diz que é um estacionamento para deficientes. Então você estaciona ali, desce com sua cadeira e fecha a porta do carro. Você olha para a esquerda, para a direita, para a trás e não encontra um lugar por onde possa acessar o calçadão e adentrar à praia. Mas você é percistente, acredita que o governo não erra (muito). Alguém deve ter deixado um lugar para você, deficiente, chegar à praia. Então você vai empurrando o pneu da sua cadeira e chega à avenida. Entre ônibus, caminhões, carros e motocicletas você olha e nada encontra de acesso. "Uma rampinha só já estaria de bom tamanho", você pensa. Você volta para seu carro e não sabe se entra no carro ou se pede uma ajuda. Você que pensou que o governo trabalha em prol do povo começa a se lamentar de ter parado numa cidade tão inóspita, tão gozadora daqueles que necessitam de cuidados especiais. Algumas pessoas que passam percebem que você está lá aflito e oferecem uma ajudinha. Duas moças e dois rapazes, cada um pega um lado da cadeira e o levanta até chegar a ciclovia e você pede para que o deixe lá que dali você se encarrega... Mas engano seu.


Depois do calvário para chegar à ciclovia, você não vai encontrar nenhuma rampa para chegar ao calçadão. Sabendo que esse é um problema menor, você sabe como ninguém a se equilibrar. Então levanta as duas rodas da frente da sua cadeira, e com impulso tenta subir com as outras duas de trás. Só que não dá certo e você cai de costas. Mais uma vez você naquela de condição de meio ser-humano é ajudado por populares e a sua idéia de independência do deficiente em uma cidade racional é desfeita e o pensamento da realidade de que você é apenas um peso para as autoridades vem à tona (embora você pague o mesmo imposto ou mais do que os outros).

Praia Grande é isso. É o fazer sem pensar. O fazer sem querer fazer porque só faz porque a lei obriga. Enquanto se gasta com obras desnecessárias, o necessário é jogado para segundo plano - para ser feito se sobrar algum dinheiro. O povo que caminha todos os dias por essa cidade, é maltratado, absurdamente maltratado diga-se de passagem (de desnível, claro).

17 comentários:

Anônimo disse...

Vou postar aqui algo que, para mim, é fundamental na escolha do prefeito das próximas eleições:

Veja a prestação de conta do Candidato Roberto Francisco (disponível no sítio do TRE de São Paulo).
Pelo que ele apresentou (e isso são números parciais), as despesas dele já estão perto da casa dos R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais).
Se dividirmos o valor gasto por 4 (número de anos do mandato de prefeito) e depois por doze (número de meses existentes em cada ano) encontraremos o absurdo valor de R$ 14.770,00 (quatorze mil, setecentos e setenta reais). Ou seja, o candidato já gastou mais do que o salário que ele irá receber durante todo o mandato.
Ai, pergunta-se: Qual o interesse em gastar mais do que irá receber? Será que o candidato é tão bom que gasta essa fortuna toda apenas para dirigir a cidade e fazer um bem para toda a sociedade? (Duvido!!!):


PESQUISA PRESTAÇÃO DE CONTAS PARCIAIS DE CANDIDATO
Município-UF  PRAIA GRANDE - SP
Candidato ROBERTO FRANCISCO DOS SANTOS
Número 45
Candidatura  Prefeito
N.°/Sigla Partido 45 / PSDB

1 - Receitas Estimável em
Dinheiro Cheque /
Transf. Bancária /
Depósito em Espécie
Valor R$
1.1 - DOAÇÕES
  203.860,00
  477.400,00
  681.260,00
1.1.1 - Recursos Próprios
  0,00
  0,00
  0,00
1.1.2 - Recursos Pessoas Físicas
  94.700,00
  120.000,00
  214.700,00
1.1.3 - Recursos Pessoas Jurídicas
  109.160,00
  357.400,00
  466.560,00
1.2 - RECURSO DE OUTROS CANDIDATOS/COMITÊS
  0,00
  0,00
  0,00
1.3 - RECURSO DE PARTIDO POLÍTICO
  0,00
  0,00
  0,00
1.3.1 - Fundo Partidário
  0,00
  0,00
  0,00
1.3.2 - Outros Recursos
  0,00
  0,00
  0,00
1.4 - OUTRAS RECEITAS
  0,00
  144.800,00
  144.800,00
1.4.1 - Comercialização de Bens ou Realização de Eventos
  0,00
  144.800,00
  144.800,00
1.4.2 - Rendimento de Aplicações Financeiras
  0,00
  0,00
  0,00
1.4.3 - Recursos de Origens não Identificadas
  0,00
  0,00
  0,00
TOTAL DA RECEITA (A)
  203.860,00
  622.200,00
  826.060,00

2 - Despesas
Baixa de Recursos
Estimáveis em Dinheiro
Pagamentos
FUNDO
PARTIDÁRIO  
OUTROS
RECURSOS


Valor R$
2.1 - Despesas com Pessoal
  0,00
  0,00
  145.935,00


  145.935,00
2.2 - Encargos Sociais
  0,00
  0,00
  9.032,62


  9.032,62
2.3 - Impostos, Contribuições e Taxas
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.4 - Locação / Cessão de Bens Imóveis
  16.950,00
  0,00
  15.740,00


  32.690,00
2.5 - Despesas com Transporte ou Deslocamento
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.6 - Locação / Cessão de Bens Móveis
  69.500,00
  0,00
  0,00


  69.500,00
2.7 - Despesas Postais
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.8 - Materiais de Expediente
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.9 - Combustíveis e Lubrificantes
  0,00
  0,00
  24.221,60


  24.221,60
2.10 - Publicidade por Placas, Estandartes e Faixas
  0,00
  0,00
  1.500,00


  1.500,00
2.11 - Publicidade por Materiais Impressos
  12.740,00
  0,00
  177.982,00


  190.722,00
2.12 - Publicidade por Carros de Som
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.13 - Publicidade por Jornais e Revistas
  1.250,00
  0,00
  0,00


  1.250,00
2.14 - Publicidade por Telemarketing
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.15 - Energia Elétrica
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.16 - Telefone
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.17 - Serviços Prestados por Terceiros
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.18 - Comícios
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.19 - Alimentação
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.20 - Água
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.21 - Pesquisas ou Testes Eleitorais
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.22 - Produção de Programas de Rádio, Televisão ou Vídeo
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.23 - Encargos Financeiros e Taxas Bancárias
  0,00
  0,00
  27,00


  27,00
2.24 - Multas Eleitorais
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.25 - Doações Financeiras a Outros Candidatos e/ou Comitês Financeiros
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.26 - Reembolsos de Gastos Realizados por Eleitores
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.27 - Eventos de Promoção da Candidatura
  0,00
  0,00
  53.680,00


  53.680,00
2.28 - Diversas a Especificar
  6.320,00
  0,00
  55.470,12


  61.790,12
2.29 - Bens Permanentes
  0,00
  0,00
  7.000,00


  7.000,00
2.30 - Produção de Jingles, Vinhetas e Slogans
  0,00
  0,00
  1.000,00


  1.000,00
2.31 - Criação e Inclusão de Páginas na Internet
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.32 - Cessão ou Locação de Veículos
  97.100,00
  0,00
  14.323,99


  111.423,99
2.33 - Pré-Instalação Física de Comitê Financeiro de Partido
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
2.34 - Pré-Instalação Física de Comitê de Campanha de Candidato
  0,00
  0,00
  0,00


  0,00
TOTAL DA DESPESA (B)
  203.860,00
  0,00
  505.912,33


  709.772,33

3 - Doações de Outros Bens ou Serviços Efetuados a Candidato / Comitê Financeiro
  176.270,90
4 - Imobilizações
 
4.1 - Bens e Materiais Permanentes Imobilizados
  7.000,00
4.2 - Doações de Bens Permanentes Efetuadas a Candidato / Comitês Financeiros
  0,00

Anônimo disse...

Nosso atual prefeito e seu candidato é comédia pura huahuauha

Acha que somos idiotas de acreditar em tanta balela...

Que a população abra os olhos dia 05.

Porfavor!

Anônimo disse...

Já disse isso várias vezes, mas a mamata continua: A prefeitura continua contratanto com "fantasmas" haja vista que a atitular da empresa individual é falecida.

PREGÃO Nº 140/2008
PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 15.467/2008
OBJETO: “AQUISIÇÃO DE CADEIRAS DE PLÁSTICO”
Considerando decisão contida na Ata de Sessão Pública do
Pregão, exarada no processo em epígrafe, que ADJUDICOU à
empresa R. M. EL KHATIB – ME, classificada em primeiro lugar
para o fornecimento do item 01, em razão do menor preço unitário
apresentado, sendo condição mais vantajosa para a
Administração, HOMOLOGO a presente licitação, nos termos do
artigo 5º, inciso IV do Decreto Municipal nº 3.593/2003, sendo
que o item 02 foi cancelado, por erro na especificação do produto.
Em 24 de Setembro de 2008. NANCI SOLANO TAVARES DE
ALMEIDA - Secretária de Promoção Social

Anônimo disse...

Sem fazer nenhum pré julgamento, mas lembrando-se da velha máxima: "onde há fumaça há fogo", vou postar alguns dos vários Inuqéritos em trâmite perante o MP Estadual:

Nº CAO: 1223/07 Nº Documento: 132/06
Município: PRAIA GRANDE
Assunto/Ementa: APURAR EVENTUAL ABUSO NA OCUPAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO POR CONCESSIONÁRIO - PARTICIPAÇÃO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS.
Parte: SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TURISMO - REPRESENTADO
SECRETÁRIO MUNICIPAL RAMIRO - REPRESENTADO
PROPRIETÁRIOS DO QUIOSQUE 07 - LAGOSTA – REPRESENTADO

Anônimo disse...

Nº CAO: 209/07 Nº Documento: 126/06
Município: PRAIA GRANDE
Assunto/Ementa: POSSÍVEL IRREGULARIDADE NA EXPLORAÇÃO DE VENDA DE BEBIDAS POR AMBULANTES – AUTORIZAÇÃO EXCLUSIVA A UM ÚNICO PARTICULAR.
Parte: MAURÍCIO COELHO DA SILVA - REPRESENTANTE
PREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE - REPRESENTADO
ALBERTO MOURÃO - REPRESENTADO
CÁSSIO NAVARRO - REPRESENTADO
CHOPP NA PRAIA COMÉRCIO DE BEBIDAS LTDA. – REPRESENTADO

Anônimo disse...

Prefeitura de Praia Grande divulgou informações falsas sobre Palácio das Artes, declara Cunha

Publicado em: 30/09/2008


A versão sustentada pela Administração Municipal, de que o Palácio das Artes, em Praia Grande, recebeu apenas investimentos de empresas privadas caiu por terra na noite de segunda-feira (29). Durante comício da coligação Praia Grande Ainda Melhor, no bairro Tupi, o candidato a prefeito Alexandre Cunha (PMDB) mostrou os extratos de contratos de serviços que demonstram valores vultuosos gastos pela Prefeitura no empreendimento.



O Diário Oficial do Estado, entre 8 de maio e 16 de setembro, traz desde o contrato de locação do espaço até as obras e serviços de adequação do prédio – que durante anos ficou alugado para um depósito de material de construção, ao valor de R$ 12 mil mensais. O DO publica também valores de obras como a reurbanização da Avenida Presidente Kennedy, que deverá consumir dos cofres públicos R$ 28 milhões. Vale lembrar que a via não tem um único quilômetro sem pavimentação.



Diferentemente do que divulgou a Prefeitura, de que o aluguel seria pago por bancos, em 8 de maio, à página 126, a publicação oficial traz o valor do aluguel do espaço onde está instalado o Palácio das Artes, pago pela Prefeitura de Praia Grande: R$ 50.191,04 mensais, por um prazo de cinco anos. A data da assinatura do contrato é de 29 de fevereiro de 2008. A adaptação do prédio custou em torno de R$ 5 milhões.



Cunha mostrou as publicações num telão, para espanto de muitas pessoas que acompanhavam o comício. "O imóvel não foi alugado por um banco, como a Administração disse, mas pela Prefeitura da Estância Balneária de Praia Grande, ou seja, com dinheiro do cidadão. Nestes dias, num palanque montado no Forte, falaram que eu menti. Mas estou provando que o mentiroso não sou eu", afirmou.



Bastante ressentido com publicações pejorativas e mentirosas distribuídas na cidade, Cunha ressaltou que a reação será na mesma medida. "Eu não tenho absolutamente nada a esconder". O prefeiturável lamentou os rumos que tomaram a campanha e afirmou que preferia estar discutindo administração pública, melhores caminhos para a cidade, soluções para antigos problemas e melhor qualidade nos investimentos da cidade.

Franz Josef Hildinger disse...

Eu espero que Cunha não seja uma outra mosca em cima da mesma merda.

É difícil acreditar nessa gente que está aí.

Nós brasileiros ainda tempos muito o que evoluir.

O materialismo é muito cultuado em nossa sociedade.

Enquanto o "TER" sobrepujar o "SER", não consigo crer que alguém vá pensar no povo em primeiro lugar. O que acredito que vai acontecer é que vai continuar a mesma coisa seja o candidato que vencer. Espero estar errado...

Anônimo disse...

Praia Grande


Candidatos debatem aluguel de terrenos para construção de escolas

Publicado em: 06/09/2008


Renata Frauche
redacao@metropoleonline.com.br



A prefeitura de Praia Grande alugou terrenos de construtoras para edificar prédios municipais. O candidato Roberto Francisco dos Santos (PSDB) não tem números exatos, mas sabe que são pouco mais de 10 entre os cerca de 200 que compõem o patrimônio municipal. Ele esclarece que essas locações fazem parte dos princípios administrativos das gestões do prefeito Alberto Mourão (PSDB). “Esse sistema demonstra que Praia Grande usa modernidade administrativa com modelo de parceria público-privada para agilizar o atendimento à população também usado na Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, redes de supermercados, Volkswagem e até mesmo no Exército”.



Para ele, essas locações representam economia para os cofres do Município. “Cito o Palácio das Artes. As despesas com aluguéis e equipamentos que ficam à disposição da comunidade serão custeadas pelos bancos que negociaram com a Prefeitura a obtenção do depósito da folha de pagamento dos servidores. Quem ganha com isso é a sociedade. Só quem tem uma mentalidade retrógrada e não tem visão da realidade atual pode criticar esse tipo de política administrativa”. Segundo Roberto Francisco, não há chance do Município decretar a desapropriação dos imóveis a qualquer tempo pagando o valor dos mesmos e assumindo as propriedades. ”O governo municipal já planeja a reserva de recursos para adquirir alguns desses prédios locados”, ressalta.



O candidato Jasper Lopes Bastos (PSOL), o Jasper, dispara que “mais do que parcerias, isto cheira a negócio da China. Não sabemos os valores exatos. Os parceiros privados não foram tão inocentes ao associarem-se a este pacto. Teríamos que estudar possíveis expropriações destas áreas subitamente supervalorizadas. Antes terreno baldio e agora tem um Rodrigão ou um Falcão”.



Revisão
Alexandre Cunha (PMDB) não tem o número de escolas que estão nessa condição. “Os ginásios esportivos e o Teatro estão sendo construídos em terrenos alugados pela prefeitura. Todos os contratos de locação serão analisados e os valores comparados com o mercado imobiliário para uma possível revisão”.



Jasper teme pelo que pode acontecer com esses contratos daqui a 10 anos. “Sabemos que em termos de moral pública isto não é correto. Teremos que ver como desatar este nó na Justiça. É um belo abacaxi para se descascar. Revisarei os contratos para ajustá-los ao mercado imobiliário. O melhor seria que os herdeiros tomassem consciência de que lesam a coisa pública e os munícipes".



Matéria publicada na edição 170 do jornal Metrópole

Anônimo disse...

Praia Grande


“Kartódromo com boxes poderia ser construído com R$3 milhões a menos”, afirma Rosana Esteves

Publicado em: 09/08/2008


Renata Frauche
redacao@metropoleonline.com.br



“Conversei com técnicos que me informaram que a mesma pista do kartódromo de Praia Grande, com 36 mil metros quadrados, poderia ter sido construída com boxes para os karts com o valor de R$ 3 milhões a menos do que foi gasto pela prefeitura”, afirma a vereadora Rosana Esteves (PP).



Na próxima quarta-feira, dia 13 de agosto, a vereadora apresentará requerimento durante a sessão ordinária onde questiona quais são as prioridades elencadas pela atual administração municipal. “Há outras necessidades em nossa cidade. Existem valas abertas com água entrando nas casas dos moradores. Por isso me pergunto se o kartódromo deve ser prioridade. Minha reclamação é porque também temos muitas dificuldades na área da saúde”, dispara Rosana.



O secretário municipal de Obras de Praia Grande foi procurado para comentar as informações dadas pela vereadora Rosana, mas a assessoria de imprensa da prefeitura de Praia Grande informou que a partir das 18 horas não teria como localizá-lo.



Matéria publicada na edição 166 do jornal Metrópole

Anônimo disse...

tem gente que ainda prefere o "rouba" mas faz...

Quanto milhoes praia grande gastou desnecessariamente? isso fruto do nosso alto iptu e outras tantas taxas...

pena q este blog ainda não chegou a informação de todos... ao idealizado do blog quem sabe transformar este blog em um jornal, ou algo do genero, para a população ter acesso a essas informações?

Anônimo disse...

Concordo que op povo de Praia Grande é mal informado. Também oncordo que este blog deveria ser mais divulgado, tanto por seu idealizador, mas como por nós mesmo.
Por isso, façamos a nossa parte também: Divulgue este blogo na sua lista de e-mails!
Ao idealizador peço uma gentileza: Coloque um contador de acesso, até mesmo para saber como está (sei que já deve ter um número expressivo de acessos) e como ficará o blog se todos nós ajudarmos a divugá-lo.

Anônimo disse...

Praia Grande


Vereadora Rosana Esteves continua sem respostas em Praia Grande

Publicado em: 02/10/2008


Renata Frauche
redacao@metropoleonline.com.br

A vereadora Rosana Esteves (PP) declara que está acompanhando os trabalhos da CEV (Comissão Especial de Vereadores) que apura possíveis irregularidades em contratos da prefeitura de Praia Grande com o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) após a Operação Santa Tereza, conduzida pela Polícia Federal. A investigação se deve a possibilidade de desvio de verbas de financiamentos feitos pelo poder municipal junto ao BNDES. Rosana aguarda um posicionamento dos vereadores que compõem a comissão, mas lamenta o fato de apenas ter o poder de averiguar. Segundo ela, "a comissão não poderá fazer nada caso existam irregularidades".

Em relação ao aluguel do Palácio das Artes a vereadora apresentou requerimento no último dia 10 de setembro para pedir informações ao Executivo sobre o projeto, a especificação técnica de obras, escopo, edital e planilha de orçamento e qual seria o valor do aluguel. “As informações preliminares dão conta de que o valor do aluguel é de R$ 50 mil, sendo que na reforma do imóvel foram gastos cerca de R$ 5 milhões de reais”. De acordo com a vereadora, o imóvel estava alugado a uma empresa de materiais de construção por R$12.500 ao mês. “Meu requerimento ainda não foi votado”.

Com relação ao kartódromo, Rosana voltou a apresentar requerimento. “Em um jornal da cidade, o secretário de Serviços Urbanos, Sérgio Bonito, disse que, ao contrário do afirmado pela vereadora, a obra do kartódromo não teve custo de R$ 4 milhões. Foram gastos R$ 913.379,80 nas obras até hoje”. A vereadora voltou a questionar os valores gastos pela administração, já que as somas dos valores não chegam aos "estimados R$ 4 milhões anunciados pelo secretário. Meu requerimento também não foi votado. Espero que haja mais clareza. Os requerimentos sobre essas obras do Executivo não são respondidos. As autoridades precisam ter mais respeito para com a população", finaliza Rosana.

Anônimo disse...

Contra Cunha I
O juiz eleitoral de Praia Grande, Wilson Julio Zanluqui, determinou na noite de segunda a busca e apreensão de material apócrifo de ataque a Alexandre Cunha (PMDB), candidato a prefeito pela coligação ‘Praia Grande Ainda Melhor’. O material está circulando na cidade desde o final da tarde de domingo.

Contra Cunha II
Segundo a assessoria do candidato, o material não ostenta assinatura, denigre a imagem do candidato e ataca sua honra e dignidade. Bufando, Cunha desabafou em comício realizado na noite de segunda no bairro Tupi: “Eu não tenho nada que esconder mas sei de muita gente aqui nessa cidade que tem o que esconder”.

Anônimo disse...

24/09/2008
Falta de quórum cancela sessão ordinária


Falta de quórum foi o motivo de não haver sessão ordinária na Câmara Municipal da Estância Balneária de Praia Grande, nesta quarta-feira 24.

O vereador Heitor Orlando Sanchez Toschi (PSDB), presidiu a sessão e esperou durante 20 minutos regimentais, conforme a lei interna da Câmara.

As 10h20, ainda não havia sete vereadores na Casa (número mínimo para a abertura da sessão, segundo determina o Regimento Interno). Por esse motivo, Totô como é conhecido, comunicou oficialmente que a sessão não seria realizada.

Anônimo disse...

01/10/2008
Insuficiência de quórum suspende sessão
A sessão desta quarta-feira 01, não foi realizada no Legislativo da Estância Balneária de Praia Grande pelo fato de não haver quórum suficiente, conforme determina o Regimento Interno da Casa.

Depois de ter esperado 20 minutos regimentais para o preenchimento do número mínimo de sete vereadores ao início dos trabalhos, o então presidente, vereador Renaldo Correia Santo (PPS), declarou encerrada a sessão.

Na reunião marcaram presença os vereadores Ademir Noelson Cordeiro (PDT), Artur Pedro da Silva Júnior (PR), Marcio Rodrigues de Carvalho Barros (PR), Marco Antonio de Sousa (PMN), Rosana Perchiavalli Albuquerque Esteves (PP).

Franz Josef Hildinger disse...

Voltando ao tema "Deficientes Físicos", uma reportagem do site TERRA fala dessas dificuldades que existem no Rio de Janeiro e a união dos deficientes para lutar contra a discriminação das autoridades com relação a eles.

http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2008/interna/0,,OI3228848-EI11874,00-Rio+candidatos+cadeirantes+propoem+acessibilidade.html

Gabriel disse...

QUE VERGONHA foi akela ontem na TV. Comprou os horários mais nobres da Tribuna, pra se defender de uma mentira certamente plantada por eles mesmos... Pra falar a verdade nem Roberto Francisco, nem Cunha me agradam, mas dps disso me sinto obrigado a votar no Cunha e fazer de tudo pra q ele ganhe! Eu como eleitor e cidadão praiagrandense me senti envergonhado ontem! Votemos 15 amanhã!